Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinha de solteira

Cozinha de solteira

Ando uma preguiçosa, mas tenho me portado bem, no que respeita a almoços. Esta semana, apeteceu-me ir ao H3 comprer hamburguer e batatas fritas. Saí de lá tão desiludida que não apanham lá tão cedo. Apenas como um menu: cheese, em substituiram o "cheese" em fatia, que era derretido na hora, por um queijo derretido; ou seja, um atalho para poupar tempo. Pois quando começam com atalhos, é quando eu perco o apetite.


 


Assim, voltei à rotina da minha martita que não tenho fotografado há um mês por preguiça. Perdoem-me. Mas a verdade é que é o tipo de coisa que só dá para fotografar à noite e com um cozinha toda pintada de cor de laranja, imaginam a dificuldade em conseguir uma foto com uma iluminação minimamente decente.


 


Este é um almoço que nunca fiz porque nem sequer gosto de batatas fritas salgadas (vêm como fiquei traumatizada no H3?). Valor nutricional: um desatre.


 



 


Já algum tempo que não comprava frango assado no supermercado. É uma solução económica e (a meu ver) saborosa para um final do dia em que não antecipamos nada para o jantar. Compro sempre a mais, para o almoço do dia seguinte já que pode ser utilizado em várias receitas simples: sande de frango, salada de frango, massa com frango - ou seja, tudo fácil de preparar quando não apetece cozinhar.


 


Além de ser uma versão mais económica (paga-se o peso e não a unidade) que o frango da churrasqueira, permite-me ter acesso a legumes frescos (por exemplo a alface) para complementar a refeição.


 


Um frango, serviu para o jantar de 3 pessoas (complementado com arroz, batata frita e salada) e ainda sobrou um peito para o meu almoço. Pode parecer pouco, mas é 1/4 de frango (de 750 gr) por refeição. O que não recomendo é que o acompanhem com batatas fritas de pacote.


 


 


keeping with the Joneses


 


 



 
E se não podem esperar pelas minhas martitas, que tal cuscar os "almoços portáteis" da Belita a Rainha dos Couratos? É que apesar de só ser moda agora, eu já lhe roubo ideias e ando pelos comentários do blog a implorar mais ideias há dois anos

Depois do esquecimento da semana passada, volto para prestar contas respeitantes à 2ª feira sem carne.


 


Há muito que andava em círculos, em relação à massa de brócolos gratinada do blog Caderno de Chocolate. Uns dias demasiado cozida, noutros tostada porque me esquecia no forno. Parecia enguiço. 


 


 


Aqui fica a última versão: massa e brócolos no ponto, mas esqueci-me que levava béchamel. É o que vos digo: enguiço!


 


Mas confesso que achei esta versão deliciosa. Suave, um ligeiro travo a tostado do brócolo e a decadência do mozarella derretido. Definitivamente para repetir. 


 


Quem disse que a refeição sem carne tem de ser sem sabor?


 


P.S. - Tanto a mozzarella como os bróculos foram comprados com 50% de desconto ;)

Minto. Eu não faço dieta. Deveria fazer. Tenho gordura abdominal e tenho historial de diabetes tipo II que já leva 2 gerações. Deveria, mas ao meu lado está um papelito que embrulhava um bombom de chocolate. De tarde, comi um bolo.


 


Porém, ao meio da manhã comi uma maçã e o almoço era caseiro. O jantar também e tinha peixinho e saladinha.


 


Ocorreu-me, em conversa com a Troca Tintas, que há dietas (e há dietas que nada têm a ver com comida) que começam assim: a aditar o que se precisa de ingerir, em vez de limitar a cortar os excessos.


 


Estou assim: em vez de me proibir de comer um bombom de chocolate (ou dois ou três), certifico-me que levo uma peça de fruta para o meio da manhã. Focalizo-me no que tenho de adicionar à minha dieta: fruta e legumes em vez de me preocupar com o que tenho de retirar.


 


E coisas interessantes acontecem: como comi a maçã, já não fui ao café comer um bolo. Estava cheia. Comendo a sopa, as porções do remanescente são menores. Não porque retiraste, mas porque estás cheia.


 


Pode parecer uma tolice ter um frigorífico com saquinhos de plástico com peças de fruta lavadas em unidades. É o sistema à prova de preguiçosa - as maçãs são todas lavadas e guardadas no frigorífico já em saquinhos. É só pegar.


 


Já agora, o saco da maçã também já tem um guardanapo e uma colher, para a meia de leite que levo na "thermos". Uma tacinha tem tostas.


 


Por isso, cara amiga, como poderás constatar, cá em casa não há "heróias". Mas há uma miúda com neurónios que começa a encontrar uns truques.


 


Por exemplo, descobri que andava a exagerar nos doces no café em frente ao trabalho e descobri que que muitas vezes, essa saída era para descomprimir.


 


Truque: levar comida (mesmo que seja doce) de casa, tornando redundante a ida ao café. Páro para comer e até beber a minha sagrada meia de leite, mas é tudo de casa e sei o que estou a comer.


 


Por isso, não te concentres tanto no que tens de perder, mas naquilo que precisas de aditar à tua dieta.

Pág. 1/2